Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

domingo, 4 de setembro de 2011

Divulgação-vídeo

video


Como dito antes, o vídeo iria é a ultima coisa publicada ....

tem alguns erros ortográficos,entrentando a copia passar para a prof Andrea,foi corrigida!

Esse vídeo esta com a qualidade ruim pois era muito grande ...e teve que ser comprimido

E é isso,para finalizar o blog com chave de ouro com esse vídeo!!

Obrigado!!

Att:Matheus Vilar

Relatorio-blog

Bem para podermos terminar o blog,temos que por o relatório do blog:

O blog, como escrito no outro relatório,fez uma parceria com o grupo do video...que será a ultima coisa postada
O blog se organizou,em fazer o video com o tema Violência Sexual e o tema do video Adolescência
Para se informar basta ler os tópicos anteriores...

Relatório-Vídeo

O meu grupo esse bimestre se ajuntou com o pessoal do BLOG e fizemos um vídeo relacionado aos dois temas que são : Adolescência e Violência sexual , na qual a historia que contamos é de uma adolescente rebelde que é violentada sexualmente por dois garotos , ai ela começa a se envolver com bebidas alcoólicas e etc.
E após disso ela tenta se mata , mais ai ela começa a ver as coisas de outra forma .

Componentes :
Alice Santiago
Evelyn Dara

(Como dito o video foi uma parceria com o meu grupo...que logo será divulgado)
(Att:;Matheus Vilar)

Relatório

Em 17 de maio, foi comemorado o "Dia Internacional contra Homofobia", que pretende combater o preconceito e a discriminação contra os homossexuais. Porém, o termo "homofobia" é enganoso, pois classifica, implicitamente, como doente mental, toda pessoa contrária à ideologia gay. No Brasil, a principal bandeira do movimento é a aprovação do Projeto de Lei da Câmara 122/2006, que, a pretexto de garantir a tolerância ao homossexualismo, proíbe a divergência, em um dispositivo de cunho nitidamente totalitário.

Aqui estão seis passos para acabar com a homofobia, é dever de toda escola:

1. Ser um ambiente seguro
2. Encorajar, apoiar e empoderar os gládios
3. Ter uma política de combate ao bullying
4. Incluir material LGBT em sua biblioteca
5. Disponibilizar apoio individual e/ou em grupo
6. Incluir perspectivas LGBT e materiais não-homofóbicos em seu currículo

Hoje em dia ja existe o Projeto Escola Sem Homofobia; O Projeto Escola Sem Homofobia, apoiado pelo Ministério da Educação/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (MEC/SECAD), tem como objetivo “contribuir para a implementação do Programa Brasil sem Homofobia pelo Ministério da Educação, através de ações que promovam ambientes políticos e sociais favoráveis à garantia dos direitos humanos e da respeitabilidade das orientações sexuais e identidade de gênero no âmbito escolar brasileiro”. Uma análise de situação justificando o projeto e suas atividades se encontra ao final deste documento.
O Projeto foi planejado e executado em parceria entre a rede internacional Global Alliance for LGBT Education – GALE; a organização não governamental Pathfinder do Brasil; a ECOS – Comunicação em Sexualidade; a Reprolatina – Soluções Inovadoras em Saúde Sexual e Reprodutiva; e a ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Todas as etapas de seu planejamento e execução foram amplamente discutidas e acompanhadas de perto pelo MEC/SECAD

Passeatas:No proximo dia 18 Brasília ficara mais colorida;
Isso porque o Eixão Sul será palco da 14ª Parada do Orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transgêneros de Brasília. Mas além das plumas e paetês, o evento promete promover discussões importantes como a violência contra gays e os direitos civis dos homossexuais. O tema do evento deste ano é o bullying homofóbico e o intuito é tentar reduzir os preconceitos no ambiente escolar.

De acordo com Michel Platini, um dos organizadores do evento, muitos homossexuais são reprimidos no colégio em virtude do preconceito. Para ele, é preciso acabar com a discriminação para garantir a erradicação da violência. “O bullying é a doença do século, que atrapalha o adolescente a assumir sua opção sexual. O ambiente escolar não pode ser opressor”, analisa.

A marcha está marcada para domingo e a programação conta com exposições, seminários, festas e exibição de filmes. Os eventos paralelos à parada ocorrem durante toda a semana, a partir da próxima terça-feira. Pela primeira vez, a marcha terá um enfoque cultural. “Como não há nenhuma outra agenda LGBTS no Brasil na data, esperamos atrair esse público para a capital federal e fazer da nossa parada uma das maiores do país”, acredita Michel. Segundo ele, o objetivo é que Brasília se torne o 2º maior polo do Brasil em turismo artístico e cultural LGBT. A expectativa é que 40 mil pessoas participem da parada, 10 mil a mais do que no ano passado.
 
(Também,usaram todo o texto deles )
(Att: Matheus Vilar)
 

Violência Sexual

A violência sexual envolve todos os comportamentos sexuais, tornando-se progressivamente mais intrusivo ou invasivo. 
  
O que é a violência sexual?
São consideradas violência sexual situações de abuso, violação e assédio sexual. É a passagem ao acto quando o outro não o deseja; é uma agressão focalizada na sexualidade da pessoa, mas que a atinge em todo o seu ser; é crime punido pela lei. As marcas físicas e psicológicas da violência sexual são frequentemente graves e não se trata apenas de ferimentos, infecções sexualmente transmitidas ou gravidezes não desejadas. O uso da coacção psicológica é também muito frequente, sendo em muitos casos uma forma de o agressor confundir e criar situações de grande ansiedade e angústia na vítima. As situações de violência sexual são, muitas vezes, difíceis de denunciar ou sinalizar, porque o medo da vítima induz ao silêncio e ao segredo, protegendo desta forma o agressor.
Como se define abuso sexual?
Abuso sexual define o comportamento de alguém do sexo masculino ou feminino face a um menor que englobe a prática de um acto sexual de relevo, cópula ou coito anal. Consideram-se ainda como situações de abuso as práticas de carácter exibicionista perante o outro, obscenidade escrita ou oral, obrigatoriedade de assistir a espectáculos pornográficos, o uso de objectos pornográficos, ou ainda se o menor é usado para fins fotográficos ou filmes de índole pornográfica (art. 172º e 173º, Código Penal).
Como se define violação?
A maioria das leis define violação como agressão sexual com penetração sem consentimento mútuo. Trata-se de um acto de violência física ou psíquica que condiciona a liberdade do outro, obrigando-o a aceitar comportamentos sexuais que não deseja. De uma forma geral, existe um maior número de casos de violação praticados por pessoas do sexo masculino.
Como se define assédio?
O assédio sexual refere-se a uma forma de pressão sobre outra pessoa, com o fim de lhe impor relações sexuais ou outras práticas que esta não deseje e que portanto, de algum modo a violentem.
Quais as formas de violência sexual?
A violência sexual envolve todos os comportamentos sexuais, tornando-se progressivamente mais intrusivo ou invasivo.
Inclui:
Contactos físicos;
Exploração sexual;
Prostituição infantil;
Pedofilia;
Pornografia;
Comportamentos sem contacto físico como o exibicionismo, o ver e produzir material pornográfico, entre outros.
A vítima não deve manter-se em silêncio, mas antes reclamar justiça. No caso das mulheres, estas podem recorrer à contracepção de emergência (até 72 horas depois).

por : Tainá Marinho

sábado, 3 de setembro de 2011

Relatório jornal


Reprodução consciente
A sexualidade e a reprodução humana são temas apaixonantes e polêmicos. A partir da adolescência, a taxa dos hormônios sexuais aumenta dramaticamente no sangue das pessoas; corpo e mente se modificam, e a sexualidade passa a ser parte importantíssima da vida.
O conhecimentpo científico sobre a reprodução humana vem garantindo às pessoas a possibilidade de controlar conscientemente sua reprodução. Além do método natural de controle, baseado apenas no conhecimento do ciclo reprodutivo, há também vários métodos contraceptivos eficazes como a pílula, a camisinha, o diafragma etc. Usar ou não esses métodos deve ser a escolha de cada um, de acordo com seus valores e crenças.
Os conhecimentos sobre a reprodução também tem permitido que muitos casais solucionem suas dificuldades biológicas para procriar. Os tratamentos podem variar, dependendo do caso, desde injeções de hormônios e correção cirúrgica de órgãos genitais, até a fecundação em laboratório e a implantação de embriões no útero. A utilização ou não desses tratamentos deve ser uma escolha individual, infelizmente também limitada pela situação econômica da pessoa.
Conhecer o funcionamento do sistema reprodutivo humano é importante para a cidadania, não apenas por permitir à pessoa um controle sobre sua própria reprodução, mas também por possibilitar uma reflexão mais aprofundada sobre o crescimento populacional em um mundo já tão intensamente povoado e com tantas questões por resolver.
(Bem o jornal publicou uma matéria deles,enviaram como se fosse o relatório...é grande mas  a unica função do blog é publica-la, e os  professores respossáveis dão a punição que o caso exija...O blog não se compromete,como será o relatório,apenas publica.)
(Att: Matheus Vilar)

Relatório da Radio

(A radio deixou um ar de surpresa ,o que podemos fazer,é esperar a surpresa e ficar aqui na expectativa) (Att: Matheus Vilar
A radio esta responsável para divertir a galera da escola com muitas musicas e informação
Sobre a AID´S e entre outras doenças .  A vinheta tem muita informação de algumas doenças  basta ficarem ligados e curtirem as musicas
O pessoal da radio esta pensando em distribuir algumas camisinhas e cartinhas falando sobre as doenças e entre outros casos .Eles não falaram se isso vai ser verdade é surpresa.